sexta-feira, 30 de março de 2012

Dafra Next 250 chega ao mercado brasileiro por R$ 10.190

A Dafra apresentou nesta quarta-feira (28), em Hsinchu, em Taiwan, a nova Next 250. Esta motocicleta é fruto da parceria da marca brasileira com a SYM, fabricante de motos taiwanesa, e chega ao país por R$ 10.190 para concorrer com Honda CB 300R e Yamaha Fazer 250. Presente na Ásia e Europa, a Next 250 terá o Brasil como foco para o produto, onde a Dafra pretende vender 10.000 unidades por ano, com início da comercialização em 15 de abril. A marca disponibiliza a Next em três opções de cores: vermelho, preta e pérola.


“Na Europa, esperamos vender 2 mil unidades ao ano, enquanto em Taiwan o número será de 1.000 motos. Isto torna o Brasil o principal mercado para a motocicleta”, disse Andy Huang, vice-diretor de marketing de vendas externas da SYM. O projeto custou US$ 10 milhões para a fabricante taiwanesa e passou por modificações importantes para se adequar ao consumidor brasileiro.

“As principais modificações são uma nova calibragem para a suspensão, ergonomia diferente, chassi reforçado e mudanças na injeção eletrônica, para se adaptar ao combustível brasileiro”, explica Gustavo Poletti, gerente de desenvolvimento da Dafra. “Para adequar a moto rodamos, cerca de 300 mil km com modelos da Next no Brasil e testamos 1.000 horas no dinamômetro”, acrescenta Creso Franco, presidente da Dafra. A moto chega simultaneamente a Taiwan, com o nome de T2, e à Europa, onde é chamada de Wolf 250.

De 0 a 100 km/h em 11s92

A Next possui motor monocilíndrico de 249,4 cm³, quatro tempos que, segundo a marca, pode alcançar potência máxima de 25 cavalos a 7.500 rpm e torque de 2,75 mkgf a 6.500. Equipado com injeção eletrônica da marca japonesa Keihin, o propulsor de 1 cilindro tem como novidade a refrigeração líquida, algo inédito para a categoria de motos urbanas de 250/300 cm³ no país. De acordo com a Dafra, a motocicleta é a mais rápida do segmento, obtendo marca de 0 a 100 km/h em 11s92.


Outro diferencial da Next é o câmbio de 6 marchas. Mesmo que não seja inédito neste nicho -a extinta Honda Twister 250 contava com esta configuração-, está presente na CB 300R e na Fazer 250, ambas com apenas 5 marchas. “O câmbio de 6 marchas proporciona menor consumo que as concorrentes, principalmente nas rodovias”, afirma Franco. Além das concorrentes japonesas, outra possível rival, a Kasinski Comet GT 250 também possui câmbio de 5 marchas.

Seu peso em ordem de marcha é de 173 kg e o sistema de freios é a disco, tanto na dianteira como na traseira. No trem posterior ao motociclista, o dispositivo tem 260 mm e conta com duplo pistão, ao passo que no trem anterior o item tem 220 mm e pistão simples. As suspensões são convencionais, com garfo telescópico de 110 mm, na dianteira, e monoamortecedor de 125 mm, na traseira.

Design inspirado em motos maiores

Para eleger o visual da Next 250, a SYM buscou inspiração em motos maiores da categoria naked. Seu farol dianteiro é do tipo piramidal e as laterais inferiores do tanque contam com carenagens que lembram a Honda CB 1000R, por exemplo. Além disso, a pequena cúpula sobre o painel, o spoiler embaixo do chassi e a rabeta afilada lembram motocicletas de maior cilindrada.


Já o painel é esportivo e tem iluminação azul de LED. Com um sistema misto de analógico e digital, o sistema tem hodômetro total e parcial, velocímetro, hora, voltagem da bateria, indicador de marcha, combustível, gravação da velocidade máxima atingida e mostrador de RPM.

SYM planeja mais um modelo para o Brasil

Durante a apresentação oficial da Next 250, em Taiwan, Andy Huang contou mais detalhes sobre novidades da marca para o mercado brasilerio. "Planejamos lançar em 2013 mais um modelo da SYM no Brasil. Será um produto que já faz parte de nossa linha em outros países", revelou Huang, que não quis divulgar mais detalhes.


Esta seria o terceiro lançamento da marca no país, que já conta com o scooter Citycom 300i e agora com a Next 250, ambos vendidos e montados no Brasil pela Dafra. Questionado sobre o assunto, o presidente da Dafra, Creso Franco, disse não poder falar sobre o possível lançamento.




Fonte: Auto Esporte

quinta-feira, 29 de março de 2012

Nova Ducati de Valentino Rossi na MotoGP ultrapassa 330 km/h

ADucati apresentou nesta segunda-feira (19) o protótipo Desmosedici GP12 que irá disputar a temporada 2012 da MotoGP. Esta nova motocicleta será utilizada por Valentino Rossi e Nicky Hayden na principal categoria do motovelocidade mundial. Segundo a fabricante, a GP12 tem motor com mais de 230 cavalos de potência e pode ultrapassar a velocidade de 330 km/h.


Seu propulsor é um V4 de 1.000 cm³ com refrigeração líquida, injeção eletrônica e 4 válvulas por cilindro. O peso a seco é extremamente baixo para uma motocicleta deste porte, com 157 kg declarados pela marca italiana. Após resultados abaixo do esperado em 2011, a Ducati tenta se recuperar na MotoGP. A primeira prova da tempoarada ocorre no circuito de Losail, no Qatar.






Fonte: Auto Esporte

quarta-feira, 28 de março de 2012

Harley-Davidson inicia produção de motocicletas no Brasil


A fabricante de motocicletas, Harley-Davidson, começou a produção de seus produtos em sua nova fabrica, localizada no município de Manaus (AM), que está substituindo outra unidade estalado há 13 anos também na capital amazonense.

O novo prédio está localizado no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, e foi inaugurado pelo presidente CEO da Harley-Davidson, Keith Wandell, e por executivos mundiais da marca.

No local, a marca americana irá montar em um único pavilhão 18 dos 19 modelos vendidos no Brasil. A área ocupada para a fabricação das motos será de 10 mil m², e opera em regime CKD – ou seja, monta kits de componentes enviados dos Estados Unidos.

Em sua nova fabrica, a Harley-Davidson será capaz de montar uma nova moto em tempo que varia de 14 a 35 minutos. O empreendimento emprega cerca de 110 funcionários.

A marca iniciou oficialmente no Brasil como montadora em 2011, com a instalação de dez concessionárias e mais de 4,3 mil unidades vendidas no mesmo ano. Esta iniciativa nasceu após romper com o Grupo Izzo, que era seu representante exclusivo no país. A fabricante tinha um contrato com a revendedora que teria o prazo até 2015, mas foi feito um acordo em sigilo para que terminasse a parceria antes do combinado.



Fonte: Best Riders

terça-feira, 27 de março de 2012

Estúdio de design constrói protótipo inspirado na OSSA Monocasco


O estúdio de design Art-Tic, localizado em Barcelona, desenvolve desde variados modelos de poltronas com formatos criativos até um futurístico aspirador de pó. Entretanto, o mais novo destaque da empresa foi a criação de uma motocicleta elétrica com base na famosa moto do espanhol Santiago Herrero, a OSSA Monocasco.


Com um aspecto no mínimo ‘diferente’, a moto esconde o motor e toda sua mecânica em uma caixa metálica (ou seria algum material sintético?). O farol mais parece a luneta de um rifle de precisão. O curto guidão revela pequenos manetes. E o que falar do conforto? Certamente esse protótipo é destinado para pessoas pequenas. Pela altura do banco em relação ao guidão, o condutor se obrigaria a pilotar praticamente deitado sobre a moto.


Mas por enquanto, nada de novidades no mercado. A OSSA Monocasco Electric Bike ainda não passa de um protótipo e os consumidores que gostaram do modelo terão de aguardar ela ser construída e comercializada. Então resta esperar pela divulgação dos dados técnicos e do valor para o consumidor final.


Ainda fora da linha de montagem, o protótipo da OSSA Monocasco Electric Bike foi criado com base no lendário veículo da fabricante catalã (Espanha) que ficou ativo de 1924 a 1982. O modelo de inspiração foi usado pelo piloto Santiago Herrero em competições do Grand Prix World Championship na categoria 250 cm³.






Fonte: Best Riders

sexta-feira, 23 de março de 2012

Aprilia renova a maxi motard Dorsoduro 1200 na Europa



Chassi, estética e eletrônica melhoradas, a motard de dois cilindros da Aprilia evoluiu para a versão MY em 2012. Mais agil, potente e apta a satisfazer os pilotos mais exigentes, a Aprilia Dorsoduro 1200 é a nova referência na classe maxi motard.

O motor dois cilindros, com 130 hp é afixado num chassi muito ágil e leve. Tem formas esguias, guidão largo e muita atenção aos detalhes. Os componentes de primeira linha fazem dessa moto o máximo em performance para uma moto dois cilindros de 1200 cilindradas. A Dorsoduro 1200 é uma mistura explosiva de potência, agilidade e precisão na pilotagem.



No coração dela bate um motor Aprilia 90° V2 de 1200cc que se destaca no topo de toda linha Aprilia. A sofisticação mecânica mostra que a marca italiana aplicou tudo o que tem de melhor no projeto. Componentes como pinças radiais Brembo, embreagem hidráulica, “ride by wire” com a aplicação de 3 mapas diferentes para o motor e um painel de instrumentos moderno, completo e funcional demonstram o esmero da engenharia da fábrica.

Para completar, como acessório ainda pode vir equipada com ABS  e com o Aprilia Traction Control (ATC), para combinar a “maxi-diversão” com a segurança. Dentre suas principais características estão: motor V2 a 90° com quatro válvulas por cilindro, duplo comando no cabeçote, arrefecimento líquido e ignição com duas velas, mapa triplo na injação eletrônica, tecnologia Ride by Wire (com mapas Sport, Touring e Rain), comando de válvulas tracionados por corrente e engranagens, escapamento com catalisador de tres vias e sensor de oxigênio, chassi treliçado composto de tubos de aço e peças fundidas em alumínio, base do banco em alumínio, balança em alumínio com amortecedor lateral, garfo totalmente ajustável de 43 mm upside-down e amortecedor traseiro tipo piggy-back e freios Brembo de competição com pinças de fixação radial.



Fonte: Motonline

quinta-feira, 22 de março de 2012

Harley Davidson FLHTK Electra Glide Ultra Limited: Conforto, potência e tecnologia em uma só moto


Logo de cara, tudo impressiona. O nome com sobrenome, Harley Davidson FLHTK Electra Glide Ultra Limited, e seus números: 400 quilos de peso seco, 2.525mm de comprimento, 1.690 cm³, 13,9 kgf.m de torque e bagageiros com capacidade para mais de 67 litros. Lógico que você pensa duas vezes antes de começar a rodar com ela. Não é uma máquina para qualquer situação. É uma moto que pede estradas muito bem pavimentadas e nada de trânsito pesado na cidade, como qualquer outra motocicleta touring de grande porte.


O que chama atenção logo de início é a perfeita ergonomia e o excelente conforto. O largo tanque de 22,7 litros faz com que as pernas mais afastadas do que o habitual em outras touring, mas isso em nada atrapalha a posição de pilotagem.

Se você procura LED´s e instrumentos digitais, esqueça. Tudo na Ultra é clássico e mantém a sobriedade e padrão de bom acabamento e esmero das HD. A tecnologia de ponta está escondida e as únicas coisas modernas que você vai ver são o hodômetro digital dentro do velocímetro analógico e o sistema de som. Os punhos possuem diversos comandos. Quatro somente para ajustar o fantástico sistema de áudio Harman-Kardon que conta com quatro alto-falantes de 20 watts por canal além de rádio AM/FM, CD, MP3, um intercomunicador e CB (a famosa faixa do cidadão). A qualquer velocidade você consegue um som puro e perfeito devido à qualidade, posição e potência dos alto falantes.


Bem, checado a localização de todos os botões e testada suas funções, vamos colocá-la em movimento. Vale citar que os controles manuais da HD são extremamente intuitivos, não precisando de muita memorização de onde ficam e como apertá-los. Os comandos dos piscas ficam um em cada punho e desligam sozinhos ou apertando-os novamente. Naturalmente, você se acostuma.


Quando em movimento, a sensação de moto grande e pesada desaparece. O motor de grande cavalaria cresce uniforme e a entrega de potência acontece de forma suave. Com o aumento progressivo da velocidade, começamos a sentir o quanto a moto é confortável para se rodar. O assento largo e de espuma bem macia fica a 745mm do solo e permite um bom posicionamento do piloto.

As suspensões cumprem bem a finalidade de manter a estabilidade e transmitir conforto a seus ocupantes. Isso graças a um sistema ajustável a ar somente para a traseira, proporcionando a regulagem de acordo com o estilo de pilotagem e carga da moto. Os freios Brembo com ABS são de série e completam o conjunto, passando segurança e confiabilidade. Composto por disco duplo de 32mm na dianteira com 4 pistões e simples na traseira, também com pinça de 4 pistões.


O chassi é bastante rígido e não apresenta flexões, mesmo quando exigido em curvas mais fechadas.

Se ficar preso em algum engarrafamento, basta usar o EITMS (Engine Idle Temperature Management Strategy). Resumindo, este é um sistema que automaticamente corta o combustível e a centelha do cilindro traseiro para baixar a temperatura do motor e evitar que o piloto e garupa fiquem sentindo o vento quente proveniente do motor. O sistema pode ser acionado pelo piloto, bastando virar o acelerador em sentido contrário.

Ao chegar na estrada, tudo muda. A tensão inicial já passou e agora é só acelerar mais um pouco, aumentar o volume do som e curtir a Ultra em seu habitat natural. Na estrada, percebemos toda a força do Twin Cam 103. Este poderoso motor de formato em V, que somado a uma injeção eletrônica sequencial bem acertada, um par de escapes bem dimensionados e sua transmissão de seis velocidades Six-Speed Cruise Drive, não poderia dar em outra coisa a não ser muita potência, respostas suaves e uma rápida aceleração.
 
Uma vez pilotando a Ultra na estrada você sentirá o grande diferencial deste modelo: a potência aliada ao grande conforto. Tudo nela foi pensado para este fim. Três grandes malas onde cabe muita bagagem, assentos de dois níveis com encosto para o passageiro, bastante proteção aerodinâmica e uma boa autonomia graças ao seu grande tanque. Mas é para isso que a Electra Glide Ultra Limited foi feita: para longas viagens, onde piloto e garupa terão tempo suficiente para aproveitar toda tecnologia, conforto e incontáveis ‘mimos’ de série que acompanham este modelo.


Um simples final de semana a bordo desta máquina poderia ser prolongado indefinidamente sem ficar cansativo ou redundante, ratificando a sensação de liberdade relacionada às motocicletas.






Fonte: Best Riders

quarta-feira, 21 de março de 2012

Conheça a Ducati Monster Diesel




O anúncio de uma Ducati Diesel pode te pegar de surpresa, mas só até você perceber que a moto tem velas de ignição e referência a Diesel, marca de moda italiana, que vem patrocinando a equipe Ducati no MotoGP.

A colaboração já está dando frutos no clima “urbano militar chique” pelo modelo 1100EVO Ducati Monster.

O Diesel Monster fica na casa dos $ 13.795 dólares americanos, num tratamento de cor baseado no verde militar, com pinças de freio amarelas na frente, enquanto quase tudo na máquina, incluindo os escapamentos é terminado em “totalblack.”

A tampa do assento do passageiro, sistema de exaustão de calor e cobertura do painel também são novos, juntamente com uma placa de metal personalizada fixada na tampa do assento do passageiro, mas todas as especificações técnicas essenciais permanecem as da 1100EVO Monster padrão.

Tanto a moto e a coleção de vestuário Diesel foram lançados neste 15 de Março na loja Diesel de Nova York, no Soho.






Fonte: Moto e Cia


sexta-feira, 16 de março de 2012

Moto Guzzi aprensenta nova custom California 1400


O Grupo Piaggio apresentou nesta quarta-feira (14), em Pasadena, nos Estados Unidos, a nova Moto Guzzi California 1400. Detentora das marcas Piaggio, Vespa, Gilera, Aprilia, Derbi, Scarabeo e Moto Guzzi, a empresa italiana revelou a primeira imagem oficial da motocicleta durante a inauguração do seu novo centro de design no país norte-americano.

“Este centro de pesquisa na Califórnia nos abre uma janela sobre mudanças que ocorrerão em nossa sociedade, estilo de vida e modelos de mobilidade urbana nos próximos anos”, disse Roberto Colaninno, CEO e chairman do Grupo Piaggio. “Este ano estamos buscando nosso crescimento internacional”, acrescentou Colannino.


O centro de design será administrado por Miguel Galluzzi, disigner responsável por modelos como Ducati Monster, Cagiva Raptor, Aprilia RSV4 e a nova California. Sobre a 1400, a marca ainda não divulgou detalhes técnicos, mas garantiu que a custom chega ao mercado europeu ainda este ano, assim como a trail de alta cilindrada Aprilia Caponordo 1200.


Fonte: Auto Esporte

quinta-feira, 15 de março de 2012

Mugen Shinden Elétrica chega a 260 km/h




Que tal encarar o desafio da Ilha de Man a bordo de uma moto movida a eletricidade? A Shinden é capaz de atingir 260 km/h e será pilotada por John McGuinness, um multi campeão e expert na competição.

Muito longe de ser uma brincadeira da Honda, ela foi criada para vencer. Apesar de não levar a asinha da marca no tanque, mas sim a assinatura da Mugen (empresa japonesa especializada em preparação de produtos Honda), assim como a AMG para a Mercedes Benz ou a Schnitzer para a BMW, a Shinden tem muito da Honda RC-E, que mostramos recentemente aqui no site. A categoria em que a moto se enquadra é batizada de TTX GP.

Segundo dados da Mugen, a moto já comprovou em testes a capacidade de manter 160 km/h de média.

O vencedor do ano passado venceu com média de 99 km/h. No entanto, as concorrentes também evoluiram e a Shinden não terá moleza. De fato, o mais importante é a atenção e o empenho de um grande fabricante na categoria, provando que as elétricas não vieram para brincar.



Fonte: Moto & Cia.

quarta-feira, 14 de março de 2012

SBS na Revista Duas Rodas

Motos no Riocentro

Segunda edição do salão bike Show, realizada entre os dias 26 e 29 de janeiro no Riocentro (RJ), apresentou ao motociclista carioca as principais novidades do mercado.


Em um fim de semana atingido por fortes chuvas, os apaixonados pelas duas rodas enfrentaram o mau tempo para conhecer os novos modelos e também as opções de acessórios e equipamentos, em mais de 90 estandes e com 200 marcas representadas.

Os destaques apresentados pelas fabricantes no Salão duas Rodas chamaram a atenção dos visitantes, como a Honda CBR 600F, Kawasaki 1000, Suzuki Bandit 1250 e Traxx Dunna 600. As marcas que apostam em motos de baixa cilindrada também mostraram novidades: a Alan Motors exibiu os scooters retrôs Bee 50 e Beverly 300, e a Auguri exibiu a Club 50 e o scooter SS150. Na área externa, o visitante pôde fazer um serviço gratuito de troca de óleo e filtro no Troca de óleo Duas Rodas Shell, ganhando brindes da Shell, Tec-Fil e da revista.



terça-feira, 13 de março de 2012

Ducati de Valentino Rossi será leiloada em Mônaco

Dois modelos Ducati utilizados recentemente no Mundial de MotoGP serão leiloados em maio, em Mônaco. O evento realizado pela RM Auctions contará com a moto GP11 pilotada por Valentino Rossi na temporada passada, durante seu ano de estreia na equipe italiana. Além da máquina de Rossi, também será colocada à venda a GP10 de Casey Stoner da temporada 2010.  Stoner, que atualmente está na Honda, foi campeão do mundo da categoria no ano passado competindo pela marca japonesa.

Ducati GP11 de Valentino Rossi

Ainda não há informações sobre o lance mínimo pelas motocicletas e nem a ficha técnica dos protótipos de competição. O mesmo evento no principado terá o leilão de 100 motos Ducati pertencente a famosa coleção Saltarelli, considerada uma das mais completas da marca.

Ducati GP10 de Casey Stoner



Fonte: Auto Esporte

segunda-feira, 12 de março de 2012

Suzuki apresenta a Inazuma 250 na Europa



Na Europa ela é chamada de Inazuma 250. Aqui no Brasil ainda não se sabe se ela virá ou não. A JTA – João Toledo da Amazônia – não dá qualquer indicação de seus próximos movimentos. Mas a tendência é que a moto virá para o Brasil, pois tem características que agradam o consumidor brasileiro e a JTA não tem vocação para perder oportunidades.

O consumidor brasileiro adoraria ter mais esta boa opção nesta classe. Quando foi mostrada nos salões de Milão e de Tóquio no ano passado, seu nome era GW 250. Suas características a colocam como concorrente forte com as naked na faixa de 250 cc que são vendidas no Brasil – Yamaha Fazer, as Honda CB 300 e CB 250R, além da Dafra Next 250, que poderá chegar em maio ao mercado. Ainda nesta faixa estão as duas esportivas Kawasaki Ninja 250, a Dafra Roadwin 250R e a Kasinski Comet GTR 250.

É uma naked de 250 cc, dois cilindros paralelos, refrigerada a água, alimentada por injeção eletrônica e com duplo comando de válvulas no cabeçote. A potência é de 25,7 cv a 8.000rpm e o torque 2,4 kgfm a 7.000rpm) e ela possui alguns detalhes interessantes no painel, como o alerta para manutenção e troca de óleo do motor (pré-programada) e uma luz que indica o momento ideal para a troca de marchas e três modos de pilotagem preestabelecidas pelo piloto:  standard, normal e econômico.

Sua estética foi herdada da irmã mais forte GSX 1300 B-King o que imediatamente deu a ela o apelido de “Baby King”. Ela tem rodas aro 17″ e o visual recortado só é quebrado pelo tanque de combustível, que tem capacidade para 13 litros. É de esperar que seu desempenho não seja nada muito fora do padrão, já seus 182 kg de peso é o grande “pecado” da Inazuma (relâmpago em japonês).




Fonte: Motonline

sexta-feira, 9 de março de 2012

Dicas de Pilotagem

FREADA

Frear deve ser sempre uma atitude de extremo cuidado não importa se você está lento ou rápido. O tipo de solo e a posição da moto (em pé ou inclinada) podem influenciar muito no resultado da freada. Frear um moto não é igual a frear uma bicicleta (freio traseiro), tenha sempre em mente que as leis da física estão presentes e que não adianta você lembrar dos seus tempos de criança quando lhe ensinaram a frear a bicicleta com a roda de trás! A moto é diferente, todo peso desloca para frente impulsionando a moto a permanecer em movimento (inércia dos corpos), portanto você deve frear 70% com a roda dianteira e 30% com a roda traseira, mas cuidado para não alicatar o freio (bloquear a roda) e freio deve ser gradual e continuo até a moto parar. Freie sempre em pé, evite frear em curva com a moto inclinada a chance de escorregar com a dianteira grande, se pensar na traseira, esqueça! O resultado é pior! A moto atravessará e chicoteará a traseira impulsionando você para cima (chimada) e o tombo é certo! Reduza se possível pelo motor (freio motor) ajudando com os dois freios suavemente, qualquer movimento brusco com o guidom também poderá derrubá-lo. Prefira sempre frear antes das curvas e não nelas! O freio que pára a moto é o dianteiro!



SINALIZAR A FREADA

Tenha sempre em mente que seu companheiro que vem atrás nunca sabe quando você vai frear até ver sua luz de freio acender, portanto facilite, sempre dê uma ou duas "beliscadas" no freio antes de frear propriamente, isso poderá evitar um acidente!



FAIXA DIVISÓRIA DE PISTA

Esta faixa que divide as pistas é sempre em alto relevo por ter uma camada de tinta mais grossa e andar sobre ela às vezes desgoverna a moto, portanto sempre segure firme seu guidom quando estiver sobre ela. Se a pista estiver molhada, o cuidado sobre esta faixa deve ser muito maior, pois esta tinta, para brilhar a noite, é feita com microesferas de vidro, e o vidro molhado é altamente escorregadio, nunca tracione! A moto sobre estas faixas de marcação de pista é possível que a moto dispare a rotação da roda traseira e quando passar a faixa ela certamente escorregará demais, causando uma queda!



FAROL NO ESPELHO

Quando você estiver por ultrapassar um veículo, sempre que possível coloque seu farol no espelho retrovisor dele para facilitar a visão do motorista. Na maioria das vezes quando ele lhe vê, dá uma "chegadinha" para a direita e facilita a ultrapassagem, senão for assim, pelo menos ele sabe que você está ali e que logo lhe ultrapassará.



MANCHAS NO ASFALTO

Tenha sempre atenção com manchas no asfalto, na maioria das vezes pode ser óleo ou consertos na pavimentação que podem estar desnivelados com a pista, em ambos os casos evite, pois a chance de escorregar é sempre grande. Esteja sempre atento a cheiros fortes, especialmente de combustíveis, o diesel é extremamente escorregadio e as vezes um caminhão pode estar vazando ou tenha tombado na pista, portanto cautela!



CABECEIRA DE PONTES

Sempre que for entrar na cabeceira de uma ponte ou sair dela levante do banco, é normal o desnível e isso pode provocar um salto e o descontrole da moto, se você estiver em pé nas pedaleiras, o impacto será menor. Outra razão para fazer isso é sua coluna, o impacto que a suspensão não for capaz de absorver será repassado para seu corpo mais exatamente para a coluna e ao final de algumas horas de viajem você se lembrará desta dica!



BURACOS

Como enfrentá-los? Primeiro, evite-os! Quando não for possível, freie o que puder antes dele, Nunca freie no buraco! A roda dianteira poderá trancar e catapultá-lo, levante do banco e passe-o. Muitos buracos entortam o aro e quando for pneu sem câmara, poderá esvaziar rapidamente, portanto cuidado!



ESTERÇAR

Também chamado de contra-esterço. Muitos motociclistas não conhecem este termo ou seu resultado. Esterçar é dobrar o guidom ao contrário do sentido da curva. Parece loucura? Mas não é! Faça um teste: quando estiver andando em reta numa pista larga, empurre suave e lentamente o guidom para a esquerda, qual será o resultado? A princípio pensaremos que a moto irá para a esquerda, mas não! Ela irá para a direita! Este resultado deve-se, para não se alongar, ao deslocamento de centro de gravidade e superfície de contato do pneu no chão pelo efeito "giroscópio" (surge em velocidades superiores a 35 km/h e se torna maior conforme a velocidade, trata-se de um fenômeno físico criado pelo movimento das rodas da moto e que tende a mantê-la em pé e em linha reta enquanto houver movimento e velocidade). Quando aplicamos isso em uma curva é uma delícia! A moto faz a curva com mais suavidade e leveza sem escapar de frente comum às motos pesadas.

Observação

Quanto mais rápido você estiver, maior será o deslocamento, por isso faça com cuidado nas primeiras vezes. Para fazer isso em uma curva, ao começá-la torça suavemente o guidom no sentido contrário da curva e incline o corpo, normalmente como você sempre fez, verá que amoto inclinará mais facilmente para dentro da curva na medida que você esterçar, portanto, você poderá regular o raio de ação de sua curva esterçando mais ou menos. Se você estiver na curva e quiser levantar a moto que está inclinada, basta diminuir o esterçar para você levantar. Experimente! Mas com cuidado! Sua pilotagem vai mudar radicalmente e para melhor!





Fonte: ShowMoto.com.br

quinta-feira, 8 de março de 2012

Orphiro: uma moto elétrica diferente de todas as outras


A Orphiro não é apenas mais uma moto elétrica. Ela tem um design que a coloca um degrau acima de todas as outras.


Idealizada na Holanda, a moto tem sua carenagem toda lisa e um visual retrô-futurista agradavél, ela deve chamar muito a atenção por onde passa.

Ela possui cinco baterias de lítio de 72 volts cada que levam cerca de seis horas e meia para estarem totalmente carregadas.

A velocidade final da moto fica em cerca de 120Km/h.












Para conhecer mais sobre a moto, seus dados técnicos e ver mais fotos, acesse o site oficial.




Fonte: Blog Duas Rodas

quarta-feira, 7 de março de 2012

Conheça a BMW S1000 RR Wunderlich "Mad Max"



Quando especialistas como a Wunderlich e o designer Nicolas Petit sentam na mesma mesa de projetos, produto final, com certeza, será algo bem interessante! Esta máquina parece ter tido sua inspiração num mito da ficção, e em um dos filmes mais conhecidos, Mad Max. O ponto de partida para esse projeto? Uma BMW S1000 RR.


Os designers buscaram dar um ar mais off-road ao modelo, para isso, foi retirado a carenagem frontal e o guidão. A linha cross é também perceptível ao olhar para os pneus TKC 80 da Continental. A suspensão é Ohlins, o novo guidão é um Magura e seu escape é de aço aço da Remus.

A pintura em preto e dourado remete ao clássico de Mel Gibson, o Interceptor V8. Esse modelo, que mais parece uma naked com rodas off-road, não será comercializado, mas, nos traz uma ideia do futuro do designer nas motocicletas.



























Fonte: Motociclismo Online e Two Wheels Blog